FÓRUM OFICIAL DA PESCA E MERGULHO DO BRASIL

Local privativo para interação exclusiva entre atletas-pescadores e mergulhadores apneistas e autonomos portadores de registro atualizado na CBPDS - Visualização aberta a todos.
Bem-vindo: Qua Jun 20, 2018 9:10 am
Índice do fórum » ASSUNTOS DE INTERESSE GERAL » LEGISLAÇÃO DESPORTIVA



Criar novo tópico Este tópico está trancado. Você não pode responder ou editar mensagens.  [ 3 mensagens ] 
Autor Mensagem

Tubarão
Avatar do usuário

Registrado em: Qua Jul 09, 2008 6:15 pm
Mensagens: 618
Localização: Rio de Janeiro - RJ

Mensagem Enviado: Qua Jan 18, 2012 12:54 pm 
Voltar ao topo  
PROJETO CBPDS SÉCULO XXII

Está disponibilizado on-line no site da CBPDS o Projeto que levou anos sendo desenvolvido, resume-se na modernização de todas as DDIs e Regras da CBPDS sem exceções. Acessem uma a uma e vejam tudo o que foi feito, algumas mudaram 100%.

Esta é a apresentação feita pelo Sr. Presidente que espelha a mecânica do que foi realizado. Um trabalho hercúleo de todos os Dirigentes que fizeram sugestões a Confederação e contribuições de desportistas por todos conhecidos e respeitados , os Assessores da presidência.

http://www.cbpds.org.br/site/noticias/i ... o-xxi.html

Leiam todas as DDIs, comecem pela inovadora DDI N. 25 e á partir dela as demais vendo a consolidação dos estudos de anos tomarem forma e abrirem novas perspectivas para todos.

A CBPDS em decorrência das novas Regras já em vigor, também começa a ajustar os Regulamentos Particulares das provas do Calendário Nacional 2012 , começando por acrescer uma disposição transitória ao final do Regulamento da Prova de 50º Aniversário do CP Atlântico Sul.

BEM VINDOS AO FUTURO.

=========================================================================

Senhores,

Após e sanção do pacote que constitui o Projeto CBPDS SEC. XXI que tanta satisfação gerou, foi já feita consulta a CBPDS por 03 presidentes de clubes sobre o que ocorreria no caso de não existir Federação filiada em determinado Estado, existindo clubes que desejassem integrar o Sistema Desportivo Oficial.

Isso já é previsto a muitos anos na legislação federal vigente e temos o precedente também a muitos anos. Onde inexiste Federação filiada os clubes podem filiar-se diretamente a CBPDS para a pratica do esporte de alto rendimento, gosando de todas as prerrogativas com excessão do voto. Adquirem direito a representatividade plena do Estado e podem entre sí constituir a Seleção Estadual e crescer amealhando pescadores que por seu intermédio quisessem manter-se filiados.

Os formulários solicitados já foram remetidos aos interessados

Esta informação publicada já demonstra o sucesso de projeto da CBPDS que abriu novas perspectivas para todos.

Este é um topico informativo, maiores informações, diretamente com a CBPDS por contato de e-mail.


=========================================================================

_________________
Cel. CARLOS MOREIRA
Diretor Técnico
CBPDS nº 2788


Imagem

 Perfil Visitar website do usuário  

Tubarão
Avatar do usuário

Registrado em: Qua Jul 09, 2008 6:15 pm
Mensagens: 618
Localização: Rio de Janeiro - RJ

Mensagem Enviado: Sáb Mar 31, 2012 9:12 am 
Voltar ao topo  
Senhores,

Muitos especulam porque a CBPDS não recebe recursos do Comitê Olimpico para suas atividades. Outros com segundas intensões dizem que a Confederação os recebe.

Para isto precisariamos possuir um esporte olimpico, É A LEI.

A muito tempo nosso presidente vem lutando para que isto aconteça, inclusive é um dos lideres mundiais para transformar o Lançamento em modalidade Olimpica e seu último discurso, em francês, em defesa desse reconhecimento foi em Montenegro perante os representantes do Comitê Olimpico e do Ministro do Esporte daquele Pais; mas, infelizmente até o momento isto não ocorreu mas nosso presidente continua ativo lutando para que este sonho se realize.

Imagem

_________________
Cel. CARLOS MOREIRA
Diretor Técnico
CBPDS nº 2788


Imagem

 Perfil Visitar website do usuário  

Administrador
Avatar do usuário

Registrado em: Dom Jun 29, 2008 3:20 pm
Mensagens: 498

Mensagem Enviado: Sex Jun 15, 2012 3:03 pm 
Voltar ao topo  
Senhores,

Atendendo solicitação do DEJUR/CBPDS coloco aqui o retrospecto do trabalho que deu origem a nova legislação da Pesca Brasileira e logo abaixo a IN nº 9:

COMO COM COMPETENCIA SE CONSTROI ALGO DE BOM


INSTRUÇÃO NORMATIVA INTERMINISTERIAL No- 9, DE
13 DE JUNHO DE 2012

Estabelece Normas gerais para o exercício da pesca amadora em todo o território nacional.
O MINISTRO DE ESTADO DA PESCA E AQUICULTURA e a MINISTRA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE no uso de suas atribuições, e tendo em vista o disposto no inciso I do §6º do art. 27 da Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, no art. 3° da Lei nº 11.959, de 29 de junho de 2009, no art. 5º do Decreto nº 6.981, de 13 de outubro de 2009, bem como o que consta do Processo MPA nº 00350.004741/2011-51, resolvem:

CAPÍTULO I
DO OBJETO E DAS DEFINIÇÕES

Art. 1° Estabelecer normas gerais para o exercício da pesca amadora ou esportiva em todo território nacional. Art. 2º Entende-se por pesca amadora e/ou esportiva a atividade de pesca praticada por brasileiro ou estrangeiro, com os equipamentos ou petrechos previstos nesta Instrução Normativa, tendo por finalidade o lazer ou esporte.
§ 1º A Pesca amadora ou esportiva é considerada atividade de natureza não comercial, no que se refere ao produto de sua captura, sendo vedada a comercialização do recurso pesqueiro capturado.
§ 2º O produto da pesca amadora pode ser utilizado com fins de consumo próprio, ornamentação, obtenção de iscas vivas ou pesque e solte, respeitados os limites estabelecidos para a atividade.
§ 3º As atividades relacionadas à pesca amadora ou esportiva podem ter finalidade econômica, excetuando-se a comercialização do produto obtido por meio da pesca.
§4º A organização formal do esporte da pesca obedecerá ao disposto na Lei nº9.615 de 24 de março de 1998 e demais normas pertinentes.

Art. 3º Entende-se por pescador amador a pessoa física, brasileira ou estrangeira que, licenciada pela autoridade competente, pratica a pesca sem fins econômicos.
§ 1º Pescador amador embarcado é aquele que faz uso de embarcação de esporte e/ou recreio para suporte à pesca.
§2º Pescador amador desembarcado é aquele que não faz uso de embarcação para suporte à pesca.
Art. 4º Entende-se como competição de pesca amadora ou esportiva toda atividade praticada segundo normas gerais da Lei nº 9.615, de 24 de março de 1998, e regras de prática desportiva, devidamente autorizada pelo MPA.
Parágrafo único. As competições de pesca amadora somente poderão ser organizadas por pessoas jurídicas.

CAPÍTULO II
DOS PETRECHOS DE PESCA

Art. 5º Os petrechos de pesca permitidos ao pescador amador são:
I - linha de mão;
II - caniço simples;
III - caniço com molinete ou carretilha;
IV - espingarda de mergulho ou arbalete com qualquer tipo de propulsão e
qualquer tipo de seta;
V - bomba de sucção manual para captura de iscas; ou
VI - puçá-de-siri.
§1º Fica permitido o uso de equipamentos de suporte ao pescador para contenção do peixe, tais como bicheiro, puçá, alicates e similares, desde que não sejam utilizados para pescar.
§2º Fica permitido o uso de puçás ou peneiras de no máximo 50 centímetros em sua região mais larga para a captura de espécies com finalidade ornamental ou de aquariofilia.
§3º É vedado o uso de aparelhos de respiração artificial pelo pescador amador durante a pesca.
§4º As embarcações que apoiam a pesca ou competições de pesca amadora não poderão portar qualquer tipo de aparelho de ar comprimido ou outros que permitam a respiração artificial subaquática, exceto quando exigido pela autoridade marítima.

CAPÍTULO III
DOS LIMITES DE CAPTURA

Art. 6° O limite de captura e transporte de espécies com finalidade de consumo próprio por pescador amador é de 10 kg (dez quilos) mais 01(um) exemplar para pesca em águas continentais e estuarinas, e 15 kg (quinze quilos) mais 01(um) exemplar para pesca em águas marinhas, observando-se as demais normas que estabelecem tamanhos mínimos de captura e listas de espécies proibidas.
Parágrafo único. Limites de captura e transporte mais restritivos do que os estabelecidos no caput deste artigo poderão ser definidos pelas autoridades competentes em normas específicas.

Art. 7º O limite de captura e transporte de espécies com finalidade ornamental e de aquariofilia por pescador amador é de 10 indivíduos para peixes de águas continentais e 5 indivíduos por pescador, para peixes de águas marinhas, observando-se as espécies permitidas e restrições definidas em normas específicas.

Parágrafo único. Fica proibida a utilização de espécies aquáticas de uso permitido para fins ornamentais e de aquariofilia como isca, conforme estabelecem as normas específicas de explotação para tais fins.

Art. 8º Fica proibido ao pescador amador armazenar ou transportar pescado em condições que dificultem ou impeçam sua inspeção e fiscalização, tais como na forma de postas, filés ou sem cabeça.
Art. 9º Fica proibido o transporte de exemplares vivos de peixes capturados pela pesca amadora, excetuando-se aqueles com finalidade ornamental para aquariofilia ou para uso como isca viva.
Parágrafo único. Nos casos das competições de pesca amadora em que se pratica o pesque e solte, não se aplica a proibição de que trata o caput para o transporte de peixes vivos entre o local de captura e o local de aferição.

CAPÍTULO IV
DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art 10 O pescador profissional, quando participar ou prestar serviços à pesca amadora, deverá respeitar as normas vigentes para o exercício dessa.
Art. 11 Deverão ser respeitadas ainda as outras normas que regulamentam a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Atividade Pesqueira, que disponham sobre:

I - os regimes de acesso;
II - a captura total permissível;
III - o esforço de pesca sustentável;
IV - os períodos de defeso;
V - as temporadas de pesca;
VI - os tamanhos de captura;
VII - as áreas interditadas ou de reservas;
VIII - as artes, os aparelhos, os métodos e os sistemas de pesca e cultivo;
IX - a capacidade de suporte dos ambientes;
X - as necessárias ações de monitoramento, controle e fiscalização da atividade; ou
XI - a proteção de indivíduos em processo de reprodução ou recomposição de
estoques.
Parágrafo único. O ordenamento pesqueiro com foco na pesca amadora deverá considerar as informações referentes ao tamanho máximo de captura das espécies e ao pesque e solte, priorizando as pesquisas que permitam estabelecer os tamanhos máximos de captura das principais espécies capturadas pela pesca amadora ou esportiva.

Art. 12 Nas competições de pesca amadora destinadas à captura de atuns e afins é obrigatória a apresentação ao Ministério da Pesca e Aquicultura, de mapa de bordo de todas as embarcações participantes do evento, conforme modelo contido no Anexo I desta Instrução Normativa Interministerial, no prazo máximo de 30 (trinta) dias após o encerramento.
Parágrafo único. O preenchimento e entrega do mapa de bordo é de responsabilidade do comandante da embarcação participante e do organizador ou responsável pela competição.
Art. 13 Para fins de inscrição no Cadastro Técnico Federal - CTF e de fornecimento de subsídios ao ordenamento do uso sustentável dos recursos pesqueiros, o Ministérios da Pesca e Aquicultura repassará ao Ministério do Meio Ambiente as informações do Registro Geral da Atividade Pesqueira - RGP referentes às categorias de pescador amador, organizador de competições de pesca amadora e embarcação de esporte e recreio utilizada na pesca amadora, assim como as informações do relatório técnico e dos mapas de bordo previstas no artigo 12 dessa Instrução Normativa Interministerial.

Art. 14 O pescador amador em atividade de pesca ou transportando o produto da pescaria deve portar documento de identificação pessoal e a licença de pesca amadora, excetuando-se os casos de dispensa previstos em Lei, sem prejuízo das normas estabelecidas por Estados e Distrito Federal.

Art. 15 Aos infratores da presente Instrução Normativa Interministerial serão aplicadas as penalidades previstas na Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, no Decreto n° 6.514, de 22 de julho de 2008 e demais normas pertinentes.

Art. 16 Esta Instrução Normativa Interministerial entra em vigor na data de sua publicação.

_________________
A Administração

 Perfil  
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Este tópico está trancado. Você não pode responder ou editar mensagens.  [ 3 mensagens ] 


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido
Enviar anexos: Proibido
cron
Powered by phpBB © 2000, 2002, 2005, 2007 phpBB Group :: Style based on FI Subice by phpBBservice.nl :: Todos os horários são GMT - 3 horas [ DST ]
Traduzido por: Suporte phpBB